sábado, 10 de outubro de 2020

Mossoró para Cristo terá novo formato

A Assembleia de Deus em Mossoró vai realizar, de 25 a 31 deste mês, a Cruzada Mossoró para Cristo 2020, com o tema Resgatados por um alto preço, baseado no livro de Primeira Pedro, capítulo 1 º, versículos 18 e 19. No domingo, dia 25, vai haver cultos em todas as congregações da Assembleia de Deus. O objetivo é convidar pessoas não crentes e recebê-las de uma maneira especial, na programação da Mossoró para Cristo.

Transmissões - Da segunda-feira, dia 26 à quinta-feira à quinta 29 deste mês, a programação será a seguinte: das 9 às 11 horas, manhã de avivamento, com o Departamento de Senhoras, e transmissões via rádio, TV e mídias sociais. Ainda pela manhã, jovens e adolescentes vão promover evangelismo criativo.

 MensagemNo horário das 15 horas, do dia 26 à quinta-feira 29 deste mês, o Departamento da Infância participará da programação através do rádio e da TV. Às 17 horas, nas vias públicas, o trio Arauto de Cristo levará a mensagem da salvação, o que se repetirá às 19 horas. 

Oração - Na sexta-feira, dia 30, a programação da Cruzada Mossoró para Cristo de 9 às 11, com a realização de oração no Templo Sede da Assembleia de Deus. Às 19 horas, acontecerá culto evangelístico, também no Templo Sede da Assembleia de Deus mossoroense.

 EncerramentoA Cruzada Mossoró para Cristo encerrará no sábado, dia 31 deste mês, com a participação de jovens e adolescentes, pela manhã, e culto evangelístico, às 19 horas, no Templo Sede da Assembleia de Deus, na Avenida Dix-neuf Rosado.

 Missões – Hoje, à noite, a partir das 18 horas, a Assembleia de Deus Boa Vista I em Mossoró vai realizar culto de missões. O culto vai ter momentos de louvor e adoração e a ministração da palavra de Deus. A congregação de Boa Vista I é dirigida pelo evangelista Bartolomeu Hélio da Costa. Estaremos na direção do trabalho ao lado do agente de missão e diácono Arthur Antunes. 

terça-feira, 29 de setembro de 2020

Chagas Sobrinho 

vai participar de culto

 na AD Boa Vista I, nesta terça


O cantor Chagas Sobrinho vai estar na Assembleia de Deus Boa Vista I, nesta terça-feira, dia 29 de setembro. 

Ele vai participar do culto de ensino da palavra, que começará às 19 horas, e terá a ministração do dirigente daquela congregação, evangelista Bartolomeu Hélio da Costa.

De acordo com as normas sanitárias em virtude da pandemia do novo coronavírus, o templo poderá ter ocupação de até 70% de sua capacidade.

Chagas Sobrinho é autor e intérprete da música “É Como um Sonho”. 




domingo, 16 de agosto de 2020


Nordeste para Cristo 
inicia campanha de jejum e oração 

Começou na quarta-feira, dia 12, a campanha de oração do Projeto Nordeste para Cristo 2020, que terá duração até o dia 12 de setembro. 

A campanha tem propósito de jejum e oração em favor da União de Ministros das Assembleias de Deus no Nordeste (Umadene) e a sua diretoria. 

O Projeto Nordeste para Cristo conclama a igreja a orar por saúde física, mental e emocional dos obreiros e pelo desenvolvimento das igrejas da região Nordeste.

Papel

A Assembleia de Deus em Mossoró vem reunindo seus departamentos para discutir sobre o papel da igreja no pós-pandemia. Estavam agendadas reuniões, no Templo Sede, ontem à tarde (15 de agosto), às 14 horas, com os departamentos de senhoras e círculo de oração. 

Às 16 horas, a reunião seria com os departamentos de missão, discipulado e infância. Às 18 horas, jovens e adolescentes. 

Nessas reuniões são seguidos os protocolos preventivos, com o uso de máscara, álcool 70 por cento e distanciamento.  

domingo, 19 de julho de 2020

Jesus ocupou o nosso lugar na cruz

As páginas do Novo Testamento estão marcadas por exemplos da empatia de Jesus pelas pessoas. Ou seja, Jesus percebia o sofrimento das pessoas e se compadecia da dor que afetava a vida delas.

O próprio Jesus faz referência a um dos mais belos e tocantes exemplos de empatia, no livro de Mateus, capítulo 25, versículos 34 a 40:

Vinde, benditos de meu Pai, possuí por herança o reino que vos está preparado desde a fundação do mundo; Porque tive fome, e destes-me de comer; tive sede, e destes-me de beber; era estrangeiro, e hospedastes-me;

Estava nu, e vestistes-me; adoeci, e visitastes-me; estive na prisão, e foste me ver.
Então os justos lhe responderão, dizendo: Senhor, quando te vimos com fome, e te demos de comer? ou com sede, e te demos de beber?

E quando te vimos estrangeiro, e te hospedamos? ou nu, e te vestimos? E quando te vimos enfermo, ou na prisão, e fomos ver-te? E, respondendo o Rei, lhes dirá: Em verdade vos digo que quando o fizestes a um destes meus pequeninos irmãos, a mim o fizestes.

Jesus sentiu a dor da mulher que sofria com uma hemorragia, havia anos. Ele percebeu a dor daqueles perderam ente queridos, dos paralíticos, dos cegos, das prostitutas, dos cativos por espíritos maus, daqueles que eram escravizados pelo pecado e clamavam por libertação.

E nos dias atuais? Como cristãos, será que temos nos colocado no lugar das pessoas que sofrem com o frio, que vivem sem teto, ao relento, que padecem com a falta de pão, ou que estão tragados pelo mundo da marginalização ou das drogas, escravizados pelo pecado?

São perguntas que devemos fazer a nós mesmos, para tentar compreender qual a vontade de Deus e de Jesus para nós, em relação às outras pessoas. Parece que, nos dias atuais, temos visto exatamente o contrário. Basta dar uma olhada nas redes sociais para perceber que vivemos um momento no qual o que umas pessoas demonstram, em relação às outras, não é exatamente o que poderia se chamar de empatia.

A Bíblia revela um dos maiores exemplos de empatia, no livro de João, capítulo 3, versículos 16. Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.

Jesus deu a vida pelos pecados da humanidade. Ele padeceu na cruz do calvário, sofreu as mais terríveis dores, no meu e no seu lugar. Na cruz de madeira, Jesus venceu a morte e ressuscitou ao terceiro dia. O santo sacrifício permite que você também tenha a vida eterna. Mas, é preciso fazer a sua parte. Arrependa-se dos seus pecados e aceite Jesus como Senhor e Salvador.

Samuel Messias

Todavia me Alegrarei



 




Volta dos cultos nas congregações

Em passagem marcante da Bíblia, no livro de João, capítulo 4, versículo 23, Jesus diz à mulher samaritana, que está chegando a hora, e de fato já chegou, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade, independente do lugar no qual estejam. 

Entretanto, na realidade desses dias de isolamento, em virtude da pandemia do coronavírus, cada vez mais irmãos pedem a volta dos cultos nas congregações, o que deverá ocorrer em agosto. 

Tudo vai depender do número de casos da Covid-19 e do percentual de ocupação dos leitos de hospitais. 
Contribuição 


 Embora seja principalmente um dia de louvor e adoração, hoje também é dia de servir ao Senhor com dízimos e ofertas. 

A manutenção da obra do Senhor depende da sua contribuição financeira. 

Além fronteiras do nosso país, estão as famílias missionárias, que precisam da ajuda da igreja brasileira. 

O trabalho social realizado pela igreja junto às pessoas necessitadas ocorre, também, com os recursos e doações vindas dos irmãos. 

Portanto, faça a sua parte e contribua. 

No livro de Atos, capítulo 20, versículo 35, a palavra do Senhor enfatiza: 

"Coisa mais bem-aventurada é dar do que receber". 

Jovens farão live 


O Departamento de Jovens da Assembleia de Deus Boa Vista I vai realizar culto evangelístico, hoje à noite (domingo, 19). 

Os jovens Caio Henrique e Mateus Emanuel são os dirigentes do trabalho. 

Oração, louvor, testemunhos e a pregação da palavra de Deus marcarão o trabalho, que começa às 18 horas, com transmissão ao vivo pelas redes sociais.

A congregação da AD Boa Vista I fica localizada na Avenida Coelho Neto e é dirigida pelo evangelista Bartolomeu Hélio da Costa. 



Transmissões on-line

Hoje é mais um domingo em que as igrejas Assembleia de Deus em Mossoró e cidades da região realizam transmissões on-line. 

Pela manhã, foram realizadas transmissões da Escola Bíblica Dominical e manhã de louvor e oração. 

À noite, entre 18 e 19 horas, as congregações realizam cultos evangelísticos através das redes sociais.

Às 20 horas, a transmissão ocorrerá direto do Templo Sede.



domingo, 28 de junho de 2020


Deus não faz acepção de pessoas





Nos últimos dias, no nosso país, uma parcela das pessoas se expressa, no mundo virtual e nas ruas, em movimentos na defesa de direitos e em manifestações em favor da democracia. Outras nem tanto. Pelo mundo real afora, e principalmente, nos Estados Unidos, multidões saíram às ruas em protestos contra a violência aos negros e em favor da vida. Nesse contexto, vamos trazer a reflexão, que Deus trata as pessoas segundo a sua justiça perfeita. Conforme passagens da palavra de Deus, Jesus acolheu e tratou, no seu tempo, pessoas que viviam à margem da sociedade de sua época, como cegos, leprosos, paralíticos e prostitutas, e ainda aqueles que eram odiados, como cobradores de impostos, por exemplo.

Ao receber de Deus a determinação para ministrar o evangelho ao centurião Cornélio, Pedro viu o poder divino se manifestar de maneira poderosa, e ficou maravilhado, conforme o livro de Atos 10.34: “Reconheço por verdade que Deus não faz acepção de pessoas”. A lição aqui é que Deus não tem nação ou raça preferida, nem favorece qualquer indivíduo por sua linhagem ou posição social. Deus aceita aqueles que deixam o pecado, creem em Jesus e vivem retamente.

Ao invés de agredir às outras pessoas, Deus nos ensinou a amá-las, de acordo com o segundo mandamento bíblico, em Mateus 22.39: “Amarás o teu próximo como a ti mesmo”. O próximo é o irmão em Cristo, mas é também a pessoa com quem você diverge, que pensa diferente, inclusive do ponto de vista da fé. Amar o teu próximo é amar o concorrente na profissão ou na atividade econômica, o que tem preferência política diferente da sua, e até o inimigo pessoal.

Se fosse levar em conta as divergências existentes entre judeus e samaritanos, Jesus não teria dialogado com mulher samaritana. Ela se surpreendeu quando Jesus lhe pediu água, no Poço de Jacó (conforme o livro de João 4.9): “Como, sendo tu judeu, me pedes de beber a mim, que sou mulher samaritana”? Jesus viu naquela mulher alguém que precisava ouvir a palavra, para transformação da vida espiritual, não uma adversária.

Na passagem bíblica referente a uma mulher encontrada em adultério, os fariseus a levaram a Jesus, e queriam ouvir dele que fosse aplicado o rigor da Lei de Moisés, para que a pudessem apedrejar. Porém receberam de Jesus uma lição, segundo João 8.7: “Aquele de vocês que está sem pecado seja o primeiro que atire pedra contra ela”. Como exemplo de amor ao próximo, Jesus, em sua infinita misericórdia, perdoou aquela mulher e disse a ela para não pecar mais.

Ao passar por Jericó, Jesus decidiu passar na casa de Zaqueu, um cobrador de impostos. Zaqueu, até então um homem avarento e desonesto, prometeu a Jesus devolver em valor, quatro vezes mais, o que tivesse tirado injustamente de outras pessoas. Mais um que se arrependeu e conseguiu a compaixão de Jesus, conforme Lucas 19.9 e 10: “Hoje veio a salvação a esta casa, pois também este é filho de Abraão. Porque o Filho do homem veio buscar e salvar o que se havia perdido”.

Em Mateus capítulo 9 versículos 11 e 12, os fariseus, vendo Jesus sentado em casa à mesa, perguntaram aos seus discípulos: “Por que come o mestre de vocês com cobradores de impostos e pecadores? Jesus prontamente respondeu a eles: Não necessitam de médico os sãos, mas, sim, os doentes”. Ao invés de discriminar as pessoas devido à condição de vida, Jesus preferiu mostrar o caminho da salvação.

Com base em tudo o que mencionamos, queremos reiterar: Deus não faz distinção entre as pessoas.  Seu filho Jesus morreu na cruz do calvário e ressuscitou ao terceiro dia para que os seus pecados sejam perdoados. Por isso, neste dia, a nossa palavra para que você se arrependa dos seus erros e tenha a vida eterna, por meio do amor de Deus, e de Jesus Cristo, o salvador.

domingo, 21 de junho de 2020

Notas e notícias



Desafio – Continuar apoiando a obra missionária mesmo sob a crise provocada pela pandemia da Covid-19 é mais um desafio que a Assembleia de Deus em Mossoró enfrenta. Em países como Venezuela, Paraguai, Uruguai, Espanha, Gâmbia e Cabo Verde, as famílias contam com o apoio da igreja brasileira, que por sua vez depende da contribuição financeira dos irmãos.

Paraguai - O missionário Milton Oliveira lidera o trabalho da Assembleia de Deus, a partir da cidade de San Lourenzo, no Paraguai. Como resultado da dedicação da família missionária, a obra apresenta frutos que glorificam o nome do Senhor, principalmente a salvação de almas para o reino de Deus.


Imagem: Warner Lisboa



Gâmbia - Discipulando e Alfabetizando é o nome do projeto criado pelo missionário Warner Lisboa, no país de Gâmbia, no continente africano. O objetivo é a expansão do evangelho nas aldeias e o ensino da palavra aos novos convertidos. O missionário Warner pede as orações aos irmãos para que Deus abra portas e levante pessoas para colaborar com o trabalho.  O projeto se fundamenta no livro de Mateus, capítulo 28.19-20: Ide, fazei discípulos, ensinando-os.

Tecnologias - No período da pandemia do novo coronavírus a Assembleia de Deus investe nas transmissões de cultos ao vivo. A necessidade de seguir as normas de distanciamento e isolamento social impulsiona as igrejas ao uso das novas tecnologias. Principalmente redes sociais como Facebook e Instagram possibilitam o alcance de um número crescente de pessoas com a pregação da palavra de Deus.


Sabedoria que vem do alto


Foto de Karolina Grabowska no Pexels



As Escrituras Sagradas nos ensinam na carta do apóstolo Paulo aos Colossenses, capítulo 4, versículo 6, que a nossa palavra seja sempre agradável, temperada com sal, para que saibamos como responder a cada um. A Bíblia recomenda, em Efésios, 4.29, que Não saia da nossa boca nenhuma palavra torpe, mas só a que for boa para promover a edificação, para que dê graça aos que a ouvem.

Apresentamos o assunto para reflexão quando nos deparamos, principalmente nas redes sociais, com pessoas usando uma linguagem contrária às boas relações e ao respeito que devemos ter uns para com os outros. Citada pelo apóstolo Paulo à Igreja em Éfeso, a palavra torpe significa de uma maneira geral, algo desagradável, que causa repugnância, que insulta os bons costumes e prejudica uma comunicação fraterna.

No capítulo 1º, versículo 19 de sua edificante carta, Tiago aconselha que todo o homem seja pronto para ouvir, tardio para falar, tardio para se irar. Mas, o que vemos nos dias atuais, são entendidos de tudo, especialistas em assuntos gerais, julgadores e inquisidores, prontos empregar a palavra mais áspera possível para atingir quem pensa diferente. O que surpreende é que tal comportamento vem muitas vezes de quem deveria dar o bom exemplo.

Tiago nos ensina mais, no capítulo 3, versículos 1 e 2 de seu livro: Muitos de vocês não sejam mestres, sabendo que receberemos mais duro juízo. Porque todos tropeçamos em muitas coisas. Se alguém não tropeça em palavra, o tal é perfeito, e poderoso para também refrear todo o corpo. No versículo 13, do mesmo capítulo, Tiago pergunta: Quem dentre vocês é sábio e entendido? E completa Tiago: Mostre pelo seu bom trato as suas obras em mansidão de sabedoria.

Ainda na leitura do livro de Tiago, capítulo 3, versículos 17 e 18, extrai-se uma orientação para a busca da sabedoria em Deus, em meio à turbulência dos dias atuais: Mas a sabedoria que do alto vem é, primeiramente pura, depois pacífica, moderada, tratável, cheia de misericórdia e de bons frutos, sem parcialidade, e sem hipocrisia. Ora, o fruto da justiça semeia-se na paz, para os que exercitam a paz.

Com base em tudo isso, reflitamos no ensino do Senhor Jesus, em Mateus 11.29: aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração. Sejamos imitadores de que Cristo no comportamento e no falar. Que as nossas palavras sejam para levar as pessoas ao arrependimento de seus pecados, que sirvam para consolo, edificação, em favor da restauração de vidas e salvação de outras pessoas, tendo como base o evangelho do Senhor Jesus.

terça-feira, 9 de junho de 2020

Pocinho de Jacó on-line


Transmissões ao vivo 
levam a palavra a cada vez mais pessoas


Missionária Alexandra Nascimento



Obreiro Alexandro Santos









O irmão Alexandre Santos e sua esposa, pregadora Alexandra Nascimento, vem realizando na casa deles, no Bairro Parque Universitário, o tradicional Pocinho de Jacó, diariamente, às 12 horas, em transmissões virtuais. Como resultado, pessoas aceitam Jesus e outras estão retornando à comunhão com a igreja.

O Pocinho, ou Poço de Jacó, é uma referência à passagem bíblica do livro de João, capítulo 4, versículos 5 e 6, que narra o encontro de Jesus com a mulher samaritana. “Foi, pois, a uma cidade de Samaria, chamada Sicar, junto da herdade que Jacó tinha dado a seu filho José.
E estava ali a fonte de Jacó. Jesus, pois, cansado do caminho, assentou-se assim junto da fonte. Era isto quase à hora sexta”.

Nas congregações da Assembleia de Deus, o Pocinho de Jacó é essencialmente um culto rápido, realizado entre as 12 e 13 horas, portanto no intervalo para o almoço, marcado pela leitura da palavra de Deus, oração, louvor, reflexões e testemunhos.

Com a pandemia do novo coronavírus (chamado de Sars-Cov-2), decretada pela Organização Mundial de Saúde na quinta-feira, dia 11 de março, as medidas governamentais determinaram isolamento e distanciamento social, e afetaram todas as atividades presenciais da igreja, entre elas o Pocinho de Jacó.  

As consequências da pandemia também atingiram a Assembleia de Deus no Bairro Ulrick Graff, da qual fazem parte os irmãos Alexandre e Alexandra. Congregação dirigida pelo presbítero Júnior Galdino, que, segundo Alexandre, veste a camisa do evangelismo. "Todos os dias, sai de sua residência num horário complicadíssimo, ao meio dia, para contribuir, no local, com a obra do Senhor", ressalta. "Deus o tem usado grandemente, nesse trabalho, inclusive na construção do novo templo", completa. 


Pastor Júnior Galdino



Missionário Dídimo Públio









Entretanto, há alguns meses, a AD Ulrick Graff vem fazendo transmissões ao vivo, principalmente pelo Facebook, dos cultos de oração, realizados às segundas-feiras, com momentos de intercessão, louvor e ministração da palavra. Um bom número de pessoas comparece ao templo e considerável número de internautas assiste aos cultos.   

De acordo com os irmãos Alexandre e Alexandra, são muitos os testemunhos de pessoas que aceitam Jesus e voltam para a casa do Senhor. As transmissões dos cultos ocorrem por meio do Facebook, Instagram e YouTube, com crescente número de visualizações.   

No Pocinho de Jacó, as pessoas vão buscar poder na fonte, de onde transborda a água do Espírito Santo. Mesmo quem está distante, tem um encontro com Deus.  



Irmã Camila Mendes



Instrumentista Diego Nunes



Jovem pregador Davi Alexandre




Nota do blog

Deixe aqui o seu comentário e mencione o seu nome. 
Os comentários sem a citação do nome aparecem com autor desconhecido.

sábado, 6 de junho de 2020

Vidas negras importam

George Floy era conhecido 
por influenciar jovens usando a palavra de Deus



George pouco tempo antes de ser morto por policiais



Com bíblia na mão, Floyd tentava resgatar jovens

De acordo com o site Christianity Today, o cidadão George Floyd passou a ser conhecido em todo o mundo pela cena do policial com o joelho sendo pressionado em seu pescoço (quando morreu, no dia 25 de maio, em Minneápolis, nos Estados Unidos). Mas na Third Ward, uma comunidade negra em Houston, no Texas, ele era conhecido por influenciar jovens usando a Palavra de Deus.

Antes de se mudar para Minneápolis — onde foi morto após a ação policial — para uma oportunidade de emprego através de um programa de trabalho cristão, o homem de 46 anos passou quase toda a sua vida na Third Ward.
Com o desejo de quebrar o ciclo de violência entre os jovens, Floyd usou sua influência para trazer ministérios à comunidade para fazer discipulado e evangelismo, principalmente entre os moradores mais carentes.

"George Floyd era uma pessoa de paz enviada pelo Senhor que ajudou o Evangelho a avançar em um lugar em que nunca morei”, disse Patrick PT Ngwolo, pastor da igreja Resurrection Houston, que fazia cultos na Third Ward.
"A plataforma para alcançarmos esse bairro e as centenas de pessoas que alcançamos até agora foi construída nas costas de pessoas como Floyd”, disse ele ao site Christianity Today.

O pastor Ngwolo e outros líderes cristãos conheceram Floyd em 2010, que deixou suas prioridades claras desde o início.
“Ele disse: ‘Eu amo o que vocês estão fazendo. A vizinhança precisa, a comunidade precisa, e se vocês se interessam pelas coisas de Deus, eu também me interesso’”, disse Corey Paul Davis, um artista cristão de hip-hop que participou da Resurrection Houston.

A igreja expandiu seu envolvimento na região, realizando estudos bíblicos e ajudando com compras e consultas médicas. Floyd não apenas forneceu acesso aos moradores; ele deu uma mãozinha enquanto a igreja realizava cultos, torneios de basquete, churrascos e batismos na comunidade.

"Ele sempre dizia aos rapazes que Deus supera a cultura da rua. Acho que ele queria ver jovens largando as armas e tendo Jesus em vez das ruas”, disse Ronnie Lillard.

Fabiana Anastácio morreu vítima da Covid-19


Cantora participou Encontro de Jovens 2014

 da Assembleia de Deus em Mossoró 



Fabiana tinha projeção nacional

Faleceu na última quinta-feira, dia 4 de junho, pela manhã, em São Paulo, a cantora evangélica Fabiana Anastácio, vítima de Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus. 

A cantora de 45 anos estava internada havia mais de uma semana por conta de complicações decorrentes do vírus. 

Fabiana Anastácio participou, em 2014, do 14º Encontro de Jovens, realizado pela Assembleia de Deus em Mossoró.

Nas redes sociais e na vida real

A nossa palavra seja temperada com sal

Efésios 4.29

As Escrituras Sagradas nos ensinam na carta do apóstolo Paulo aos Colossenses, capítulo 4, versículo 6, que a nossa palavra seja sempre agradável, temperada com sal, para que saibamos como responder a cada um. A Bíblia recomenda, em Efésios, 4.29, que Não saia da nossa boca nenhuma palavra torpe, mas só a que for boa para promover a edificação, para que dê graça aos que a ouvem.

Apresentamos o assunto para reflexão quando nos deparamos, principalmente nas redes sociais, com pessoas usando uma linguagem contrária às boas relações e ao respeito que devemos ter uns para com os outros. Citada pelo apóstolo Paulo à Igreja em Éfeso, a palavra torpe significa de uma maneira geral, algo desagradável, que causa repugnância, que insulta os bons costumes e prejudica uma comunicação fraterna.

No capítulo 1, versículo 19 de sua edificante carta, Tiago aconselha que todo o homem seja pronto para ouvir, tardio para falar, tardio para se irar. Mas, o que vemos nos dias atuais, são entendidos de tudo, especialistas em assuntos gerais, julgadores e inquisidores, prontos empregar a palavra mais áspera possível para atingir quem pensa diferente. O que surpreende é que tal comportamento vem muitas vezes de quem deveria dar o bom exemplo.

Tiago nos ensina mais, no capítulo 3, versículos 1 e 2 de seu livro: Muitos de vocês não sejam mestres, sabendo que receberemos mais duro juízo. Porque todos tropeçamos em muitas coisas. Se alguém não tropeça em palavra, o tal é perfeito, e poderoso para também refrear todo o corpo. No versículo 13, do mesmo capítulo, Tiago pergunta: Quem dentre vocês é sábio e entendido? E completa Tiago: Mostre pelo seu bom trato as suas obras em mansidão de sabedoria.

Ainda na leitura do livro de Tiago, capítulo 3, versículos 17 e 18, extrai-se uma orientação para a busca da sabedoria em Deus, em meio à turbulência dos dias atuais: Mas a sabedoria que do alto vem é, primeiramente pura, depois pacífica, moderada, tratável, cheia de misericórdia e de bons frutos, sem parcialidade, e sem hipocrisia. Ora, o fruto da justiça semeia-se na paz, para os que exercitam a paz.

Com base em tudo isso, reflitamos no ensino no ensino do Senhor Jesus, em Mateus 11.29: aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração. Sejamos imitadores de que Cristo no comportamento e no falar. Que as nossas palavras sejam para levar as pessoas ao arrependimento de seus pecados, que sirvam para consolo, edificação, em favor da restauração de vidas e salvação de outras pessoas, tendo como base o evangelho do Senhor Jesus. 

Pense nessas palavras. Arrependa-se dos seus pecados e aceito Jesus como Senhor e Salvador.

quinta-feira, 28 de maio de 2020


Missões Urbanas

Em Mossoró, a Assembleia de Deus realiza a mobilização evangelística Minha Família e amigos para Cristo. 

Os irmãos são estimulados a postarem um versículo da Bíblia por dia nas redes sociais, levando a palavra da salvação e orando pelas pessoas. 

Trata-se de um trabalho de missões urbanas, com o uso das tecnologias e de amplo alcance, conforme o pastor Wendell Miranda, segundo vice-presidente da Assembleia de Deus em Mossoró. 


Domingo, 

na Rádio Libertadora

 é dia de programa 

Voz Evangélica de Mossoró, 

das 12 às 13 horas.

A reflexão com base na palavra de Deus,

Notícias e informações

e o melhor da música evangélica

Apresentação

Abba Eban de Santana Simão

Paulo Martins


quarta-feira, 27 de maio de 2020

Pastor Francisco José pertenceu a uma geração vocacionada para a evangelização


A participação da família no trabalho 
alegrava o pastor Francisco José (centro)

Nos anais da Assembleia de Deus em Mossoró e região, e também do vizinho estado do Ceará, ficarão gravados recortes da história de vida do pastor Francisco José da Silva, um homem que pertenceu a uma geração para qual não havia distância nem obstáculos, que não pudessem ser transpostos. A pé, de bicicleta, carroça, caminhão, na chuva, nos tempos de seca, sob sol causticante, homens e mulheres trilhavam por veredas, caminhos e atalhos para levar uma palavra de paz aos corações aflitos. 
   
A linha dessa história terrena terminou na madrugada da segunda-feira, dia 25 de maio, quando o pastor Francisco José, de 92 anos, foi elevado às mansões celestiais, conforme comunicou o presidente da Assembleia de Deus em Mossoró e região, pastor Francisco Cícero Miranda. Um quadro de insuficiência respiratória, em virtude da Covid-19, fragilizou a saúde física do pastor Francisco José.    

Antes enfrentar problemas de saúde, o pastor Francisco José da Silva, dedicou a vida à obra do Senhor. Nos últimos anos, ele cooperava na distribuição do jornal A Voz da Assembleia de Deus em empresas e repartições públicas de Mossoró, bancos, Departamento Nacional de Infraestrutura e Transportes (Denit), Delegacias de Polícia, Polícias Rodoviárias, Cartórios, Juizados, Receita Federal, Justiça Civil e Federal. Um trabalho que realizava – segundo dizia – por amor ao Senhor Jesus.

No trabalho de evangelização pessoal, o pastor Francisco José distribuía bíblias, harpas cristãs e panfletos com mensagens evangelísticas. Sem medir esforços, levou o conteúdo da palavra a pessoas de diferentes níveis sociais, ricos e pobres, no intuito contribuir com o engrandecimento do reino de Deus.
     

Liderança em igrejas, no Ceará e RN, missões regionais e evangelização em repartições e empresas marcaram ministério  


Pastor Francisco José em visita a congregação de Alagoinha, no Ceará

Em quase 50 anos de conversão, o pastor Francisco José serviu aos ministérios da Assembleia de Deus no Rio Grande do Norte e no Ceará. Em 1969, ele se mudou para Fortaleza, ao lado da esposa, irmã Narcisa Nilza de Lemos Silva, e dos 5 filhos. Lá, começou a servir ao Senhor como porteiro da AD Bairro Bom Jardim. Um pastor identificado como Ezequias o convidou para ser obreiro na cidade de Miraima, de 1971 a 1974. No mesmo ano, assumiu a direção do trabalho em Novolinda, época em que os cultos ocorriam na sua residência e nas casas dos irmãos.

Após revelação profética de uma irmã de oração, Francisco José iniciou a jornada pastoral em Quixeré. Tempo no qual construiu a sede da AD naquele município, situado na localidade de Alagoinha, e outro templo na cidade. Por três vezes tentou alugar uma casa para começar a evangelização, mas o padre de Quixeré o impedia de realizar cultos e pressionava pessoas para que não locassem imóveis. Ao perceber que o padre exercia forte influência e a população o obedecia, o obreiro Francisco José se tornou amigo pessoal do padre, e superou as barreiras iniciais.  

Mas, Francisco José enfrentou resistência semelhante para realizar cultos na localidade de Alagoinha. Então, planejou uma estratégia e usou câmera fotográfica para entrar em sítios e fazendas. A Arte da fotografia abriu as portas para a palavra de Deus. Com paciência, o pastor Francisco José conquistou a confiança de seguidores da fé católica e os ganhou para Jesus. Ele permaneceu como pastor em Quixeré e comunidades vizinhas, até o ano de 1988. Depois, voltou a Mossoró e dirigiu na AD Largo Educacional II (Bairro Santo Antônio).

Convidado pelo então presidente da AD em Mossoró, pastor João Gomes da Silva, e pelo pastor Francisco Coriolano Neto, líder da AD no município de Serra do Mel, irmão Francisco José assumiu, entre 1997 a 2000) os trabalhos nas vilas Paraíba, Tocantins e Carajás (onde iniciou a construção de um templo).

De volta do município de Serra do Mel para Mossoró, passou a compor a equipe missionária coordenada pelo pastor José Hermínio Pereira e, depois, serviu na distribuição do jornal A Voz da Assembleia de Deus em empresas e repartições públicas. Enquanto teve saúde e vigor, cumpriu o chamado para o qual Deus o vocacionou: o da evangelização.


Uma história de vida com a proclamação do evangelho como razão de ser


Um momento família, com filhos e netos, em casa


Francisco José da Silva nasceu em Mossoró, no dia 5 de fevereiro de 1928, exatamente no ano da oficialização da Assembleia de Deus neste município. Começava ali uma história de vida que teria na proclamação do evangelho a razão de ser.

Quarenta anos depois, em 1968, Francisco José passava por um local onde a Assembleia de Deus Boa Vista realizava um culto em via pública. Mesmo sob efeito de bebida alcoólica, ao ouvir o hino Conversão, número 15 da Harpa Cristã, Francisco José sentiu uma chama arder no peito e fez a decisão para Cristo.

Ao chegar em casa, relatou à sua esposa, a irmã Narcisa Nilza de Lemos Silva (saudosa memória), a decisão que tomara. A irmã Nilza duvidou que ele viesse permanecer firme na fé, provavelmente em virtude da dependência da bebida. Porém, no dia seguinte, ele lembrou do que tinha ocorrido e chamou a esposa para ir à igreja. Os passos daquele homem, antes incertos, encontraram firmeza para seguir o Senhor Jesus, numa nova caminhada.

A união do pastor Francisco José e a irmã Nilza gerou 6 filhos, treze netos e cinco bisnetos. Os filhos são Célia Lúcia da Silva Xavier, Armando Lemos da Silva, Vera Lúcia Lemos da Silva Santos, Ceriomar Lemos da Silva, Moisés Lemos da Silva e Maiara Honorato de Sousa. Maiara é fruto do amor do casal que a adotou quando o pastor Francisco José estava em Quixeré. A adoção ocorreu junto a uma família carente daquele município cearense.  

O pastor Francisco José ficou viúvo em abril de 2013. Cinco anos depois, em dezembro de 2018, ele se casou com a irmã Maria Auxiliadora. Atualmente, o pastor Francisco José se congregava na AD Boa Vista III, em Mossoró. 

segunda-feira, 25 de maio de 2020

Um leitor deste blog, que inclusive já congregou na Assembleia de Deus Boa Vista I, em Mossoró, pediu espaço para manifestar publicamente agradecimento ao irmão Francisco Raimundo da Silva, irmão Chico. 

Veja o texto na íntegra

A gratidão de um casal ao irmão Chico

Irmão Chico, como era mais conhecido, ou Francisco. Servo Fiel, sempre pregando a palavra de Deus, por onde andava.  Atencioso, dedicado, carinhoso com todos, sempre comprometido com os trabalhos da igreja, incansável.
Conheci Francisco ou carinhosamente como eu o chamava, Chico, e aprendi a gostar, a admirá-lo pelo seu jeito simples, humilde, sempre disposto a ajudar às pessoas que necessitavam dos trabalhos dele, que não tinham recursos para pagar e prontamente, mas ele prontamente atendia.

Ajudou-me bastante na minha caminhada, na época em que eu o conheci. Eu estava com pouco tempo de casado, não tinha casa própria e morava de aluguel. Havia adquirido um terreno, e estava sem condições financeiras para construir. O irmão Chico me disse: “Compre o material, que a mão de obra nada lhe custará”.

E assim o fez por várias semanas seguidas, aos sábados e domingos, estávamos no sol quente, e assim me entregou a casa na chave. Até hoje eu e a minha família agradecemos de todo coração, por essa e outras atitudes, que nos trazem à mente a expressão segundo a qual “amigo é pra se guardar do lado esquerdo do peito”. Sempre que nos encontrávamos, ele me aconselhava bastante, para que eu voltasse aos caminhos do Senhor.  Um enorme carinho que vai ficar na lembrança, guardado para sempre. Irmão Francisco Chico deixa bastante saudades.

Por fim, o nosso desejo, neste momento de dor e profunda tristeza causada pela perda do nosso amigo e irmão de fé, é que o Senhor conforte os seus familiares, que traga paz, serenidade e compreensão. Que o Senhor receba o nosso irmão em seu reino e lhe dê paz e o merecido descanso.

Valdeci Silva, Nieta e família, moradores do Bairro Boa Vista.

Nota: Nieta, esposa de Valdeci, é sobrinha da irmã Almaiza, viúva do irmão Chico.

domingo, 24 de maio de 2020


Obreiro Francisco Raimundo, 
irmão Chico, passa para o Senhor



Irmão Chico (primeiro em pé, a partir da esquerda),
 no conjunto Remidos por Cristo

Faleceu na manhã do último sábado, dia 23 de maio, em Mossoró, o irmão Francisco Raimundo da Silva, 81 anos, irmão Chico, como era conhecido. Ele era membro da Assembleia de Deus Boa Vista 1, localizada na Rua Coelho Neto e dirigida pelo evangelista Bartolomeu Hélio da Costa (coordenador AD no Setor X).

Obreiro zeloso, cumpriu durante anos escala na portaria da igreja e estava sempre disponível como cooperador nos trabalhos da AD Boa Vista I. Fosse na congregação, nos cultos realizados nos lares, vias públicas ou no Templo Sede, irmão Chico marcava presença.

Na congregação de Boa Vista I, irmão Chico fazia parte do coral Lírio Celeste, regido pelo irmão José Leite Neto e a irmã Elthyse Fernandes. Também integrava o conjunto de senhores Remidos por Cristo, atualmente sob a coordenação do irmão Wellington Cecílio.

Há algum tempo, irmão Chico se submetera a procedimento cirúrgico cardíaco, para implante de um marca-passo. Na manhã, o último sábado, irmão Chico sentiu um mal-estar em casa e foi levado às pressas, por uma filha, uma Unidade de Pronto Atendimento. Mas, ao chegar no local, o coração que tanto pulsara pelo evangelho do Senhor Jesus Cristo já havia desfalecido.  

Trabalhador da construção civil, aposentado, Francisco Raimundo da Silva era casado há 55 anos com a irmã Almaíza Alves da Silva. Tinha 5 filhos, nove netos e quatro bisnetos.

O sepultamento do corpo do irmão Francisco Raimundo ocorreu na tarde do sábado, sem a realização de velório e cerimônia na congregação, seguindo as normas do Ministério da Saúde, em virtude da pandemia do novo Coronavírus, para evitar aglomeração.

Nota do blog
Também tive o privilégio de desfrutar da amizade e da comunhão com o irmão Francisco Raimundo da Silva, irmão Chico, obreiro dedicado da nossa congregação. 


Uma referência para a igreja


Um homem de Deus

“Os céus recebem um vencedor, que está desfrutando das belezas prometidas pelo nosso bom Deus”.
Bartolomeu Hélio


“Serviu com alegria aos seus irmãos e a Deus. Sinto-me abençoado por ter tido a oportunidade de servir ao Senhor ao lado dele. Homem humilde, prestativo, amoroso”.
Kenneth Kalafange

“Era um homem muito assíduo no trabalho, pontual e paciente. Um servo de Deus, aquela pessoa que apaziguava. Eu fazia visita muitas vezes aos irmãos com ele e vimos milagres acontecer. Convidei-o para o coral e, quando ele não tinha mais voz para cantar, disse que a presença dele era espelho para os demais. De poucas palavras, mas era um exemplo. Quando estava no serviço da porta, sempre chegava primeiro. Irmão Chico deixa um legado”.
José Leite Neto


“Era o meu apoiador em tudo que ia fazer na igreja. Sinto-me como desamparado. Costumávamos brincar, trocar conversas com ele e recebia muitos conselhos, sempre me orientando como fazer isso ou aquilo”.
Edson Almeida

“Irmão Chico, homem de Deus muito amoroso e muito amado por todos nós. Sentiremos muito a sua falta”.
Marilene Cardoso

“Bem sabíamos o valor dos trabalhos, pelos quais (irmão Chico) era o responsável. Deus retribuirá”.
Maria Helena

Irmão Chico deixa um legado


Momento de louvor
no coral Lírio Celeste

“Irmão Chico, muito querido por todos, sempre com aquela paciência, humildade e amor que transmitia a todos ao seu redor”.
Elthayse Fernandes

“Era um homem crente, exemplo servo do Senhor, amigo, atencioso, a humanidade em pessoa”.
Elmaiza Gomes

“Muito amado pela igreja e pela família”.
Elucien Ferreira

“Irmão Francisco, um amigo homem de Deus, que eu tive o prazer de o conhecer. Que Deus console toda a sua família e amigos”.
Júnior Rodrigues

“Em pouco tempo, aprendi a gostar e admirar a sua disponibilidade na igreja”. 
Cristiano Souza

“Homem de Deus. Foi para mais perto do Pai”.
Keyte Valle

“Foi uma grande satisfação sentar ao lado do irmão Francisco Raimundo e juntos louvarmos a Deus no conjunto dos senhores por mais de vinte anos. Vai deixar muita saudade”.
Damião Fernandes

“Sentiremos falta do servo do Senhor”.
Gessi Oliveira